DestaqueNossos ReencontrosNotícias Gerais

Emoção e alegria marcam 20° Reencontro dos Colegas do Atheneu

 

“Existe alguma fórmula para calcular a energia de um momento como este?”, o questionamento feito pelo idealizador do evento João Quintino de Moura Filho, ao ex-professor do Atheneu e Doutor em Matemática, Rubens Sampaio em seu discurso na abertura do 20º Reencontro dos Colegas do Atheneu, no sábado, 1, expressa o clima de emoção e euforia que toma os participantes do evento ano após ano, nesses 18 anos de realização. DSC_9542

Uma festa vibrante e repleta de sorrisos reuniu ex-alunos e professores do Colégio Atheneu Sergipense de diferentes anos para celebrar um reencontro que chega a sua vigésima edição com a mesma empolgação da primeira. Abraços, sorrisos, lembranças e afetos marcam a vivência de cerca de seis horas de festa.

Maria da Glória, ex-aluna do Atheneu em 1972, pela primeira vez no Reencontro falou sobre o encanto do momento. “Estou maravilhada, muito linda essa festa e muito especial, reencontrei amigos da minha época no colégio que já não vi há anos. Não acredito que perdi esse momento nesses 18 anos, mas agora não perco mais de jeito nenhum”, afirmou.

Há 18 anos promovendo reencontros com os tempos áureos de centenas de ex-alunos do Atheneu a festa chega a sua vigésima edição (no primeiro ano foram realizadas duas) mantendo a tradição de emocionar. “Não tem como explicar o que a gente sente nesse momento, ver os colegas se reencontrando e confraternizando é muito especial”, destaca João Quintino.

Entre os homenageados deste ano esteve a turma do 3° C concludente do científico em 1968, completando 50 anos de saída do Atheneu, juntamente com os ex-professores Rubens Sampaio e Guadalupe Teixeira pelo primeira vez na festa e muito emocionados com o reencontro. “É um momento histórico para nós que fizemos parte de uma turma tão revolucionária e unida, a prova disso é estarmos aqui juntos 50 nos depois celebrando os feitos daquele ano”, destacou Josafá Oliveira – membro da turma.

Para Fernando Almeida Barbosa, ex-aluno do colégio e membro da comissão organizadora do evento fala sobre o sentimento de ter feito parte e sido aprendiz no maio colégio público, referência no ensino em Sergipe. “Ser Atheneu é ser um ser humano diferente é poder dizer que teve o privilégio de fazer parte de um grupo que tem um nível de escolaridade diferenciado, é ter tido uma educação familiar e escolar especial. Estudando no Atheneu, eu aprendi a ter a família como foco principal, foi um colégio que preparou seus alunos para vida. No Atheneu eu tive o privilégio de ser aluno e depois professor de Biologia, essa festa tem todo um sentido mais especial, em todos esses anos fazendo parte da organização, tudo que queremos é voltar ao Colégio Atheneu, mas mesmo sendo no Iate Clube tem agradado bastante. Particularmente a festa deste ano, foi o melhor reencontro, com abraços, choro, lembranças, por na verdade o reencontro é para brincar com sentimento de alegria, é um movimento de lágrimas e sorrisos de saudade, onde a preocupação toda é com os alunos e amigos que se reencontram, eu mesmo fico em êxtase arrepiado por cada reencontro”, destacou.

Já em clima para o 21° Reencontro dos Colegas do Atheneu em 2019, os participantes esperam voltar a realizar a festa no próprio Colégio que está em fase final de reforma.

Fotos: Jadilson Simões

Para ver mais fotos desse dias especial clique aqui

DSC_9337

DSC_9381

DSC_9441

DSC_9449

DSC_9459

DSC_9461

DSC_9466

 

DSC_9774

DSC_9836

Exemplar da ata do exame de admissão realizado em dezembro de 1967 - Retirada do arquivo do Atheneu
Anterior

50 anos depois: memória dos estudantes que ingressaram no Atheneu em 1968

Próximo

Não existe mais recente.

Não há comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *